23 de abr de 2007

Meu desejo-Poema do Marcelo para o livro Sobre o Desejo Masculino.

Meu desejo
Poema do Marcelo para o livro Sobre o Desejo Masculino

Meu desejo-vejo, sinto pressinto ao longe
Vem correndo, vem sedento, vem não sei de onde
Tem dias em que chega torto, tonto cansado
Em noites põe o seu melhor terno e surge arisco, esfomeado
Meu desejo voa, vem vai de trem além de bonde
Se exibe quando a trilha é clara, no túnel escuro ele se esconde
Mas se o objeto é de primeira, de segunda a segunda-feira
Meu desejo se mantém firme, ereto, madeira
Meu desejo é impossível, imprevisível e amoral
Às vezes me faz escravo, as vezes nem faz por mal
Tem horas que fecha os os olhos, babando assim como quem dormiu
Mas de tão cego enxerga até o que eu sei que ele não viu
Meu desejo me provoca, me empurra, me domina e eu não ligo
Sei que é minha alma gêmea e meu pior inimigo
Meu desejo é traiçoeiro, alucinado, as vezes clama por castigo
E quando penso que o matei, foi ele quem acabou comigo.

Do livro Sobre o Desejo Masculino - Ed. Ágalma

Origem do documento:

www.marcelonova.com.br

Beleza!