5 de dez de 2006

O Disco Mais Caro do Brasil-O Rock Progressivo Psicodelismo Underground Regional Supera o Romantismo Jabá e Outras Produções do Gênero Goela Abaixo!!


O DIA EXTRA!
Domingo, Outubro 22, 2006.



Disco mais caro do Brasil!
Álbum feito por Lula Côrtes e Zé Ramalho, "Paêbirú" é, atualmente, o vinil mais valioso da música brasileira, superando "Louco por Você", o primeiro de Roberto Carlos.
Em Breve Postaremos "Paêbirú" AQUI!!

Link Alternativo Provisorio Até Postarmos !!
http://d.turboupload.com/de/1111498/pxh44cgjmf.html
Origem do Link!!
http://progshine.blogspot.com/
O disco mais caro do Brasil!
Luís Carlos Murauskas/Folha ImagemTHIAGO NEYDA REPORTAGEM LOCAL..
Não é bossa nova, não é tropicália, não é jovem guarda nem samba.
O disco mais valioso da música brasileira é "Paêbirú", feito por Lula Côrtes e Zé Ramalho.
O álbum, principal expoente do gênero conhecido por psicodelia nordestina, chega a valer hoje, em seu formato original em vinil, R$ 4.000.
Relativamente desconhecido, "Paêbirú" alcançou preço mais alto do que "Louco por Você", o primeiro de Roberto Carlos, que por anos conservara o título de mais caro do país.Segundo lojistas, donos de sebos, especialistas e colecionadores ouvidos pela Folha, o que inflacionou o valor de "Paêbirú" nos últimos meses foi o grande interesse de compradores estrangeiros pela psicodelia nordestina.
"No Sub Reino dos Metazoários", do pernambucano Marconi Notaro, que tocou com Zé Ramalho e Lula Côrtes, também teve a sua cotação alavancada.Além desses, "Não Fale com Paredes", da obscura banda progressiva Módulo 1000, e "Coisas", cultuado álbum de Moacir Santos, estão, hoje, entre os vinis mais caros da discografia brasileira -uma cópia de qualquer um deles atinge valor de venda acima de R$ 2.000.
Além de sua raridade, "Paêbirú" é caro devido a uma aura quase mística. A fábrica e estúdio Rozenblit, onde o álbum foi produzido, foi inundada por uma enchente que atingiu Recife em 1975 e milhares de cópias foram perdidas -salvaram-se cerca de 300, que a mulher de Côrtes, Kátia Mesel, havia levado para sua casa.
Origem do documento!
Somente com o reconhecimento internacional começamos a reconhecer e a conhecer o trabalho de nossos verdadeiros artistas !
Trabalhos estes que tiveram diversas dificuldades, que ocilaram entre as limitações técnicas (equipamentos e profissionais preparados para produzir rock progressivo) as dificuldades financeiras agravadas pela suposta falta de interece das gravadoras e a liberdade de criação , é bom lembrar que este periodo era o mais negro da ditadura, então o resultado é quase sempre pequenas discografias, muitas estorias eufóricas de shows, poucas vezes documentadas com material sonoro de qualidade !
Muitas destas discografias jamais tiveram uma edição em cd com ampla distribuição o que permitiu um certa exclusividade a poucos conhecedores e admiradores deste estilo que é certamente a melhor variação do rock and roll!!
O Rock Progressivo Psicodelico Regional Brasileiro!!!
Isto so aconteceu porque muitos lps de diversos estilos da musica ligada ao rock como o proprio rock and roll, o rock psicodelico, progressivos ingleses, blues dos anos 60 e 70 so foram lançado no Brasil anos após o lançamento mundial, resumindo as bandas tiveram acesso ao matetrial sonoro completo das bandas apenas depois de terem produzido já alguns lps com sons bastante regionalizados permitindo uma certa mesclagem de estilos e influencias que são normalmente mais rock and roll e blues ao sul e psicodelico ao nordeste, e progressivo no interior como em Minas Gerais que forneceu muitas bandas de qualidade neste periodo, somada as influecias regionais acaba sendo rotulado como Rock Progressivo Psicodelico Regional Brasileiro, isto aconteceu com outras variações do rock, como mais tarde o rock punk anos depois!!Que só pintou para valer no Brasil no inicio dos anos 80 quando praticamente o movimento ja estava enfraquecido em todo o resto do mundo, bom aqui tem gente que gosta de Discoteca até hoje !!Como Pode Né tanta coisa boa produzida aqui ....!!
O fato que o Rock Progressivo Brasileiro, ora psicodelico ora rock and roll, produzido de Norte a Sul em especial nos fim dos 60 e anos 70 é respeitado e cultuado em todo o circuito mundial deste genero!! E diversos lançamentos na Europa em especial a Alemanha onde estes classicos são lançados em edições limitadas de vinil!!Como aconteceu com "Paêbirú" e Modulo 1000 - Não Fale Com Paredes, onde foram prenssadas 500 cópias para colecionadores a preços equivalentes a de quadros de Portinari no mercado !!
Com o passar do tempo vem ganhando ainda mais força e novos adimiradores surgem diariamente espantados por ainda não terem desfrutado desta benção sonora!!
Beleza!!
Em Breve Postaremos "Paêbirú" AQUI
Link Alternativo Provisorio Até Postarmos !!
Origem do Link e do documento abaixo !!
Tuesday, October 24, 2006

Lula Côrtes E Zé Ramalho - Paêbirú (1975) [Brasil]
A primeira vez que o Brasil ouviu Zé Ramalho da Paraíba foi na voz de Vanusa, que gravou a canção Avohay em seu disco "Vanusa - 30 Anos", em 1977, pela Som Livre. Um ano após, já sem o 'Paraíba", Zé Ramalho ganhou as paradas nacionais com sua enigmática e encantadora mistura sonora. Antes disso, noi entanto, tão fantástica quanto suas letras, a história de Zé Ramalho registra a gravação de um disco que ficou perdido nos escaninhos do tempo. Trata-se do raríssimo álbum duplo "Paêbirú", creditado a Lula Cortês e Zé Ramalho, gravado entre os meses de outubro e dezembro de 1974, na gravadora Rozemblit, em Recife (PE). Com eles, estão Paulo Rafael, Robertinho de Recife, Geraldo Azevedo e Alceu Valença, entre outros. Na época, Lula Cortês tinha em seu currículo o álbum "Satwa" (1973), que trazia canções com título como "Alegro Piradíssimo", "Blues do Cachorro Louco" e "Valsa dos Cogumelos".
Zé Ramalho, já tocando com Alceu Valença, tinha em sua bagagem a experiência de grupos de Jovem Guarda e beatlemania, como Os Quatro Loucos, o mais importante de todo o Nordeste. Clássico do pós-tropicalismo, com (over)doses de psicodelia, o álbum trazia seus quatro lados dedicados aos elementos "água, terra, fogo e ar". Nesse clima, rolam canções como o medley "Trilha de Sumé/Culto à Terra/Bailado das Muscarias", com seus13 minutos de violas, flautas, baixão pesado, guitarras, rabecas, pianos, sopros, chocalhos e vocais "árabes", ou a curta e ultra-psicodélica "Raga dos Raios", com uma fuzz-guitar ensandecida. E, destaque do álbum, a obra-prima "Nas Paredes da Pedra Encantada, Os segredos Talhados Por Sumé" (regravada por Jorge Cabeleira, com participação de Zé Ramalho), com seu baixo sacado de Goin' Home dos Rolling Stones sustentando os mais pirados 7 minutos do que se pode chamar de psicodelia brasileira.
O disco por si só é uma lenda, mas ficou mais interessante ainda pelas situações que envolveram a sua gravação. A gravadora Rozenblit ficava na beira do rio Capiberibe, e o disco, depois de gravado, foi levado por uma das enchentes que assolavam a região. Conta a lenda que sobraram apenas umas trezentas cópias do disco, hoje nas mãos de poucos e felizardos colecionadores, muitas das quais no exterior, onde foram parar a preço de ouro. Contando com a co-produção do grupo multimídia Abrakadabra, o disco trazia um rico encarte, que também sucumbiu ao aguaceiro. Hoje "top 10" das paradas de CDr no país e ítem valioso no mercado internacional de raridades psicodélicas, o álbum segue misteriosamente inédito no mundo digital. Com isso, a indústria dicográfica brasileira perde uma boa oportunidade de provar que se preocupa um pouco mais do que com o tilintar da caixa-registradora. "Paêbirú", que quer dizer "o caminho do sol" (para os incas), poderia ser o primeiro de uma série de raridades a ganhar a luz do dia, para ocupar uma fatia de mercado que, se pequena comercialmente, é fundamental para a preservação da cultura musical brasileira.


Texto de Fernando Rosa, originalmente publicado na revista Showbizz.

Músicas:

TERRA

01. a)Trilha De Sumé - 13'13

b)Culto À Terrac)Bailado Das MuscariasAR02.

Harpa dos Ares - 4'0103.

Não Existe Molhado Igual Ao Pranto - 7'3004.

Omm - 5'59FOGO05.

Raga Dos Raios - 2'3006.

Nas Paredes Da Pedra Encantada - 7'3407.

Marácas De Fogo - 2'30

ÁGUA08.

a)Louvação A Iemanjá - 5'19

b)Regato Da Montanha09.

Beira Mar - 1'3710.

Pedra Templo Animal - 4'1411.

Trilha De Sumé - 2'03

Classico do psicodelismo nacional!!

Beleza!!

2 comentários:

qqcoisa-coisaqq disse...

Opa, tava dando uma olhada no seu blog cara!! Olha eu tenho um vinil e n sei como vende-lo, é o primeiro vinil do white snack!! Cara um colecionador me deu e disse q atva avaliado em 3.600, se souber como faço pra vender agente ocnversa uma comissão!!
Responda pelo o meu blog ou por esse e-mail: italohugo7@hotmail.com

Obrigado

Venâncio Rock and Roll disse...

sei não..aqui a gente naum vende nada...aconteceria o mesmo que aconteceu com os comerciantes de hot-dog em woodstook 69...abraço!